A arte de gostar do mesmo sexo

Luiz Pereira de Lima Júnior

Resumo


As práticas sociais e sexuais, particularmente as ocidentais, são calcadas em princípios universais, judaico-cristãos e moralistas. Elas referendam as relações sexuais entre pessoas do sexo oposto em detrimento das relações entre pessoas do mesmo sexo. Estas últimas se voltam contra o instituído, instaurando o imoralismo: a arte como transgressão. Refletir-se-á sobre este potencial transgressor, singularmente no Brasil atual, pontuando acontecimentos que perpassam as práticas das pessoas que gostam de gente do mesmo sexo. Se, por um lado, as práticas materializam a sexualidade, por outro lado, elas acenam para o prazer: a supremacia dos instintos.Palavras-chave: sexo, relações entre pessoas do mesmo sexo, imoralismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/verve.v0i12.5457

Apontamentos

  • Não há apontamentos.