Orações subordinadas sem o complementizador Que no Português Clássico

André Luis Antonelli

Resumo


Neste trabalho, olharemos para orações subordinadas finitas sem o complementizador que no Português Clássico. Nosso objetivo é investigar, dentro de uma perspectiva gerativista, se esse tipo de construção pode ser interpretado como um CP ou um IP complemento. A partir de fatos relacionados à posição do sujeito, à ordem linear de advérbios e à colocação de clíticos, mostraremos que orações encaixadas sem o complementizador que instanciam movimento de V para C, resultando, portanto, na presença da categoria CP.

Palavras-chave


Português Clássico; orações subordinadas sem que; CP complemento; movimento do verbo

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X