GUERRILHA DO ARAGUAIA: VIOLÊNCIA, MEMÓRIA E REPARAÇÃO

Reginaldo Cerqueira Sousa

Resumo


A Guerrilha do Araguaia (1972-1974), movimento de resistência armada contra a Ditadura Militar (1964-1985) organizado por militantes de esquerda no Pará, Maranhão e Tocantins, foi uma experiencia de guerrilha rural que visou o processo revolucionário via campesinato. Situados numa região de conflitos agrários, os militantes resistiram por dois anos até serem aniquilados pelas Forças Armadas. Com o fim da Guerrilha, tem-se a “operação limpeza” para apagar os rastros e a memória guerrilheira na Amazônia. Esse artigo analisa o trauma que ficou desse processo violento e faz um estudo da luta pela memória dos mortos e desaparecidos da guerrilha no Pará.


Palavras-chave


Ditadura Militar. Guerrilha do Araguaia. Memória. Repressão.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2176-2767.2019v66p178-219

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


________________________________________________________________________________________________________

Apoio:

 

Projeto História está indexada em: