Oficinas terapêuticas: caminhos de saberes

Karine Fatima Ferreira, Valeria Cristina Santos Carvalho

Resumo


Objetivo: O presente estudo buscou identificar a importância das oficinas terapêuticas do ponto de vista do usuário quanto à socialização com a sociedade e os familiares, reconhecer formas de aproximação do usuário com a sociedade e refletir sobre os benefícios e malefícios apontados por ele. Métodos: Trata-se de uma pesquisa qualitativa e descritiva com coleta de dados por meio de entrevistas semiestruturadas, com uma população composta de pacientes atendidos no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de forma aleatória e que participavam ou não das oficinas terapêuticas oferecidas pela unidade. Resultados: Foram entrevistados 14 indivíduos que frequentam as oficinas terapêuticas. Na análise de dados, fundamentada em Bardin, três categorias foram apresentadas: 1) CAPS, lugar de grandes amizades; 2) Voltando à vida por intermédio das oficinas terapêuticas; 3) empoderando-me. Conclusão: Desenvolver, criar, externar sentimentos bons e ruins são mais do que uma terapia; trata-se de uma libertação. Livres da ociosidade, do sentimento de inutilidade, dos pensamentos ruins, da sobrecarga de medicamentos, do isolamento social e principalmente familiar, agora os indivíduos se encontram ligados a uma oficina que proporciona o aprender e o ensinar, o respeito pelo outro e pela diferença, o exercício da paciência e da calma, o extravasamento do medo, da vergonha e, principalmente, da tristeza.


Palavras-chave


saúde mental; serviços de saúde mental; terapia pela arte; qualidade de vida; socialização; educação em saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Fernandes RL. A palavra cantada nos espaços intersubjetivos de um centro de atenção psicossocial do município do Natal/RN [dissertação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Memória da Loucura. Brasília: Centro Cultural da Saúde; 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. Reforma psiquiátrica e política de saúde mental no Brasil: documento apresentado à Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde mental. Brasília: Ministério da Saúde; 2013. Cadernos de Atenção Básica, n. 34.

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde Mental no SUS: os centros de atenção psicossocial. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Câmara FP. Vida e obra de Nise da Silveira. Psychiatry Online Brasil [Internet]. 2002[acesso em 21 jan. 2017];7(9). Disponível em: http://www.polbr.med.br/ano02/wal0902.php

Cedraz A, Dimenstein M. Oficinas terapêuticas no cenário da reforma psiquiátrica: modalidades desinstitucionalizantes ou não? Rev Mal-Estar Subj. 2005;5(2):300-27.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2012.

Rodrigues A, Palma DL. A influência da inclusão da família no processo terapêutico de pacientes com transtornos mentais atendidos pelo Centro de Atenção Psicossocial em uma cidade do meio-oeste catarinense [trabalho de conclusão de curso] [Internet]. Chapecó: Faculdade Empresarial de Chapecó; 2013 [acesso em 20 fev. 2017]. Disponível em: http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2015/01/Artigo-Aline-Rodrigues1.pdf

Guimarães S, Guazzelli CT. Oficinas terapêuticas: formas de cuidado em saúde mental na atenção básica [trabalho de conclusão de curso] [Internet]. Itajaí: Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí; 2016[acesso em 28 fev. 2017]. Disponível em: http://www.uniedu.sed.sc.gov.br/wp-content/uploads/2016/02/Saionara-Guimar%C3%A3es.pdf

Pinto VAM. Oficinas terapêuticas na saúde mental: um olhar na perspectiva dos usuários do CAPS [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2011 [acesso em 10 mar. 2017]. Disponível em: http://objdig.ufrj.br/51/dissert/EEAN_M_VanessaAndradeMartinsPinto.pdf




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2018v20i2a5

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. ISSN eletrônico 1984-4840

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.