Thomas Reid (1710 – 1796) Sobre a Natureza e a Possibilidade da Linguagem

Roberto Hofmeister Pich, Jacson Jonas Faller

Resumo


Em suas obras principais sobre a teoria do conhecimento, a saber, An Inquiry into the Human Mind on the Principles of Common Sense e Essays on the Intellectual Powers of Man, Thomas Reid (1710–1796) apresenta, na esteira de sua discussão sobre as operações sociais da mente e sobre o conhecimento por testemunho, uma concepção inovadora sobre a linguagem. Reid distingue entre linguagem natural e linguagem artificial, sendo esta última essencialmente a linguagem “falada”. Para ambas, sugere uma teoria dos sinais, para a segunda, em especial, uma teoria de sinais linguísticos que obedece a um sentido comunicativo-pragmático, a saber, o intuito de expressar e ganhar reconhecimento por convicções, desejos e intenções. Nesse caso, a constituição mesma da linguagem depende de dois princípios intrínsecos: a credulidade e a veracidade. Especialmente o modo como esses dois princípios indicam critérios de competência performativa, a modo de condições de possibilidade da linguagem, sugere uma concepção pragmática da linguagem, por parte de Thomas Reid. Mostrar como esses princípios devem ser entendidos e o apelo que supõem com respeito a uma relação entre linguagem, mente e mundo, isso deve ser mostrado na presente exposição.


Palavras-chave


Thomas Reid; Linguagem; Linguagem Natural; Linguagem Artificial; Mente. Operações Sociais; Mente; Testemunho; Credibilidade; Veracidade; Comunicação.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: