C. S. Peirce e Josiah Royce: Entendimento, entendimento de si e desentendimento de si

Vincent Colapietro

Resumo


No âmago deste artigo há uma comparação entre a investigação sobre o entendimento de Peirce o relato de interpretação de Royce. Estrutura-se por uma consideração do desentendimento de si (uma consideração desenvolvida em referência a Peirce) e, ligada a esta discussão do desentendimento de si, uma consideração sobre o próprio entendimento. Para Peirce, em razão de sua abordagem da investigação e Royce em sua meta-interpretação (i.e., sua interpretação do significado e da função da própria interpretação) alguma forma de entendimento está em jogo. Por exemplo, a tarefa do investigador científico é inacabada se ela para na descoberta de fatos nus (simplesmente que algo é verdadeiramente o caso – um corpo tal como uma pedra pequena sustentada no alto por uma pessoa cairá no solo se a pessoa soltá-la). Enquanto para ambos os pensadores, as ciências não um corpo de conhecimento seguro, mas uma forma de investigação contínua, ela visa principalmente o entendimento. Tanto Peirce quanto Royce estão animados por um compromisso com a inteligibilidade do cosmos em sua varredura plena e nos mínimos detalhes. A abordagem de Peirce sobre a investigação e a concepção de interpretação de Royce são esforços para detalhar como os atores humanos tornam cada vez mais profunda e amplamente inteligível o mundo de sua experiência. Muito pode ser aprendido comparando-os a este respeito.

Palavras-chave


Ciência; Comparação; Entendimento de si; Investigação; Interpretação; Mediação; Semiose. Triadicidade; Tuísmo.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/2316-5278.2019v20i2p259-285

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: