Conhecimento de si e reconhecimento dos outros: uma leitura da contribuição de Rorty para a epistemologia do ego

Rosa M. Calcaterra

Resumo


Neste ensaio, enquadro a narrativa de Rorty com relação ao ego na história das filosofias moderna e contemporânea. Minha tese é que sua rejeição tanto do introspectivismo cartesiano quanto das explicações reducionistas psico-biológicas nasce originalmente de uma epistemologia do ego que está alinhada aos insights de Hume sobre a contingência da individualidade, mas também, introduz uma abordagem complexa à questão filosófica sobre a relação entre os reinos estético e racional. Além disso, avanço em uma leitura anticética, dinâmica e normativa do modelo narrativo de Rorty do ego, a qual associa seu entendimento de ironia – nós podemos sempre duvidar que nosso vocabulário final é o melhor disponível – e de solidariedade – concebido não apenas como um movimento afetivo em direção ao outro, mas também, como uma condição lógica para o funcionamento da comunicação humana.

Palavras-chave


Estética; Modelo narrativo do ego; Normatividade lógica; Rorty.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/2316-5278.2020v21i1p25-33

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: