Leitura pragmática: uma resposta tardia a Peter Ochs

Michael L. Raposa

Resumo


Este ensaio representa uma resposta longamente adiada aos comentários feitos por Peter Ochs a respeito de minha proposta para uma teologia filosófica peirciana concebida como “teossemiótica”. O esboço para essa proposta apareceu primeiramente em 1989, com as observações de Ochs incluídas em um artigo de 1992 e, depois, em um livro publicado em 1998. Mais de duas décadas se passaram desde a última dessas publicações, mas a recente conclusão de um projeto de longo prazo que prossegue e desenvolve minha proposta inicial em um manuscrito do tamanho de um livro revisitando os comentários de Ochs parece apropriado. Aqui, tento explorar tanto as afinidades quanto as divergências entre a teossemiótica e a articulação construtiva do próprio Ochs de um “pragmatismo rabínico”. Enquanto ambas as perspectivas enfatizam a significância teológica de uma leitura e releitura, elas incorporam avaliações diferenciadas dessas práticas.

Palavras-chave


Leitura; Ochs; Peirce; Pragmatismo; Sofrimento; Teossemiótica.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.23925/2316-5278.2020v21i1p99-111

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: