Etnotrilhas metropoéticas

Eduardo Fernandes Araújo

Resumo


Essa pesquisa etnográfica desenvolvida no sistema metroviário do Rio de Janeiro parte da hipótese de que o metrô é uma heterotopia, um lugar que contrasta com o fundo caótico dos centros urbanos por lhes oferecer alguma noção de ordenamento e previsibilidade. o entanto, as políticas públicas de concessão, apropriação e uso desse lugar privilegiado têm posto em crise seu aspecto heterotópico, deteriorando, inclusive, seu conspícuo potencial para ser ambiente instigante de comunicabilidades e sociabilidades.


Palavras-chave


etnografia; metrô; heterotopia.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM