Rever, retorcer, reverter e retomar as imagens: comunidades de cinema e cosmopolítica

André Guimarães Brasil

Resumo


Na esteira da pesquisa que temos realizado, o artigo se propõe a observar comunidades de espectadores em sua aparição concreta em filmes realizados por (ou em coautoria com) diretores indígenas. De fato, quando se retoma essa produção (particularmente no âmbito dos quase trinta anos do projeto Vídeo nas Aldeias), nota-se como, para além de um procedimento ou de um método, projetar filmes a uma comunidade singular ganha o estatuto de dispositivo, com implicações não apenas cinematográficas mas cosmopolíticas. Em filmes como A arca dos Z’oé (1993), De volta à terra boa (2008), Pirinop – meu primeiro contato (2007), Tava – casa de pedra (2012) e Pele de branco (2012), “comunidades de cinema” se formam e integram a mise-en-scène, forjando uma imagem complexa, na qual o coletivo se reconhece na defasagem de si mesmo.

Palavras-chave


vídeo nas Aldeias; comunidades de cinema; cosmopolítica

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM