Genealogia do corpo e da consciência: notas sobre a psicologia da culpa e do ressentimento em Nietzsche

Marcio José de Araujo Costa, José Antônio Souza Almada

Resumo


O artigo empreende uma discussão sobre uma série de conceitos elaborados por Nietzsche ao longo da sua produção filosófica, e de modo especial na obra Genealogia da Moral. Inicia-se com a genealogia do corpo, o qual é entendido como o resultado da constante relação de forças (ativas e reativas), onde se faz a cartografia dessas forças. A partir do pensamento de Nietzsche e das interpretações de Deleuze, explica-se como foi criada uma consciência no humano, que até então era guiado por instintos. Em seguida, desdobra-se a produção da consciência e seu funcionamento por meio dos conceitos de culpa, má consciência e ressentimento, os quais irão igualmente contribuir na formulação teórica de uma perspectiva filosófica sobre a psicologia nietzschiana.


Palavras-chave


Nietzsche; Genealogia; Corpo; Consciência; Psicologia

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO. Comentário literal ao gênesis. In: Comentários ao gênesis. Tradução: Agostinho Belmonte. São Paulo: Paulus, 2005. p. 15-498. (Coleção Patrística, n. 21).

AZEVEDO, V. D. Nietzsche e a dissolução da moral. São Paulo: Unijui, 2003.

BARRENECHEA, M, A de. Nietzsche e o corpo. Rio de Janeiro: 7Letras, 2009.

DARWIN, C. A origem das espécies. Tradução: Mesquita Paul. vol.1. Porto: Lello & Irmão – Editores, 2003.

DELEUZE, G. Nietzsche e a filosofia. Tradução: Edmundo Fernandes Dias, Ruth Joffily Dias. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976.

DESCARTES, R. Meditações metafísicas. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

ESPINOZA, B. Ética. Tradução: Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

NAFFAH NETO, A. A Psicoterapia em busca de Dionísio: Nietzsche visita Freud. São Paulo: EDUC/Escuta, 1994.

NIETZSCHE, F. W. Fragmentos póstumos. Tradução: Oswaldo Giacoia Junior. Campinas: IFCH/UNICAMP, 1996. (Textos didáticos, n. 22).

NIETZSCHE, F. Aurora: reflexões sobre os preconceitos morais. Tradução: Paulo Cézar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

NIETZSCHE, F. Crepúsculo dos ídolos: ou como se filosofa com o martelo. Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

NIETZSCHE, F. Sobre verdade e mentira no sentido extra-moral. Tradução: Fernando Moraes Barros. São Paulo: Hedra, 2007.

NIETZSCHE, F. A vontade de poder. Tradução: Marcos Sinésio Pereira Fernandes, Francisco José Dias de Moraes. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

NIETZSCHE, F. O anticristo: maldição contra o Cristianismo. Tradução: Renato Zwick. Porto Alegre, RS: L&PM. 2009. (Coleção L&PM Pocket, n. 721).

NIETZSCHE, F. A Gaia ciência. Tradução: Paulo Cézar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011a.

NIETZSCHE, F. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e para ninguém. Tradução: Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011b.

NIETZSCHE, F. Genealogia da moral: uma polêmica. Tradução: Paulo Cézar de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

PLATÃO. Fédon. São Paulo: Nova Cultural, 1996. (Coleção Os Pensadores).




DOI: https://doi.org/10.23925/poliética.v8i2.51169

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Indexadores: LivRe; Sumários.org; Latindex