Análise reflexiva sobre a capacidade de autocuidado dos cuidadores domiciliares

Sheila Cristina Clementino de Oliveira, Priscila Randazzo de Moura

Resumo


Objetivo: A dedicação constante dos cuidadores faz com que sua saúde corra riscos, principalmente no caso daqueles em que o cuidado é prestado somente por eles, tornando-os sobrecarregados. A sobrecarga diária de afazeres e cuidados ao doente acaba por comprometer o autocuidado e a saúde geral do cuidador. Este estudo objetivou refletir sobre a capacidade de autocuidado dos cuidadores domiciliares. Método: A metodologia desenvolvida foi descritiva por meio de uma abordagem qualitativa que empregou a subjetividade dos observadores na dinâmica diária de cuidadores de pacientes dependentes. Resultados e Discussão: Nos resultados, observou-se que 40% dos cuidadores relataram bom relacionamento familiar e gratidão na realização do cuidado; 60% relataram relacionamento conflituoso e às vezes sobrecarga e obrigação. A maioria dos cuidadores relatou ter dificuldades na realização de todos os cuidados, pois não tem com quem dividir as tarefas, o que dificulta a realização do autocuidado. Os cuidadores entrevistados relataram falta de disponibilidade para o lazer — condição comum no ato de cuidar — e, quando o fazem, sentem-se desconfortáveis como se estivessem fazendo algo errado por deixar o acamado que requer cuidados, o que acarreta desgastes físico e emocional. Conclusão: Conclui-se que o ato de cuidar é renunciar a si em favor do outro, é mudar toda a expectativa de vida em função do outro, portanto é de extrema importância a conscientização dos cuidadores informais em relação ao autocuidado.

Palavras-chave


autocuidado; cuidadores; saúde; saúde mental; educação continuada

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes e recomendações para o cuidado integral de doenças crônicas não transmissíveis. Brasília: Editora MS; 2008. (Série Pactos Pela Saúde, 8).

Malta DC, Merhy EE. O percurso da linha do cuidado sob a perspectiva das doenças crônicas não transmissíveis. Interface Comun Saúde Educ. 2010;14(34): 593-605.

Veras RP, Caldas CP, Dantas SB, Sancho LG, Sicsú B, Motta LB et al. Avaliação dos gastos com o cuidado do idoso com demência. Rev Psiquiatr Clín. 2007;34(1):5-12.

Gonçalves LHT, Alvarez AM, Sena ELS, Santana LWS, Vicente FR. Perfil da família cuidadora de idoso doente/fragilizado do contexto sociocultural de Florianópolis, SC. Texto Contexto Enferm. 2006;15(4):570-7.

Michelli MMM. Violência familiar: mitos e verdades [dissertação]. São Paulo: Faculdade de História, Direito e Serviço Social, UNESP; 2009.

Manoel MF, Teston EF, Waidman MAP, Decesaro MN, Marcon E. Relações familiares e o nível sobrecarga do cuidador familiar. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2013;17(2):346-53.

Braz E, Ciosak SI. O tornar-se cuidadora na senescência. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2009;13(2):372-7.

Pimenta GMF, Costa MASMC, Gonçalves LHT, Alvarez AM. Perfil dofamiliar cuidador de idoso fragilizado em convívio doméstico da grande Região do Porto, Portugal. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(3):609-14.

Barros JDS, Oliveira NJM, Silva SLB, Silva RS, Silva MFP. Percepção e expectativas de cuidadores no processo saúde/doença na pessoa idosa. Rev Saúde. 2010;4(2):28-36.

Fernandes JJBR. A sobrecarga do cuidador familiar[dissertação]. Lisboa: Universidade de Lisboa; 2009.

Ferreira ABH. Novo Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. 3ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; 1999.

Luzardo RA, Gorini C, Pinto IM, Silva SSPA. Características de idosos com doençade Alzheimer e seus cuidadores: uma série de casos em um serviço de neurogeriatria. Texto Contexto Enferm. 2006;15(4):587-94.

Mendes GD, Miranda SM, Borges MMMC. Saúde do cuidador de idosos: um desafio para o cuidado. Rev Enferm Integrada. 2010;3(1):408-21.

Franca DC. Cuidando do cuidador: atendimento psicológico no apoio do doente de Alzheimer. Rev Ciênc Prof. 2004;(1):50-2. [acesso em 10 mar. 2016]. Disponível em: www.alzheimer-europe.org/portuguese




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1984-4840201727022

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

  



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.