Causas múltiplas de óbitos relacionados ao HIV/AIDS nas capitais das regiões Sul e Sudeste do Brasil, 2011

Fernanda Cristina da Silva Lopes Ferreira, Eliane de Freitas Drumond, Pamila Cristina Lima Siviero, Gabriela Gonzalez Heck, Carla Jorge Machado

Resumo


Objetivo: Propor dois indicadores para avaliar o ganho de informação por meio da análise de causas múltiplas, utilizando dados das capitais das Regiões Sul e Sudeste, por sexo, grupos etários e capital de residência. Métodos: Foram utilizados dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade. Selecionaram-se óbitos de indivíduos com 13 anos ou mais com menção ao HIV/AIDS em qualquer campo da declaração de óbito e que residisse nas capitais das Regiões Sul e Sudeste. Os indicadores propostos foram: (i) a diferença entre o número de vezes que uma causa foi mencionada como causa múltipla (CM) e o número de vezes que foi mencionada como causa básica (CB), ou seja, CM-CB, indicando quantas causas adicionais seriam obtidas se todas as menções fossem contadas; e (ii) a razão (CB/CM) que, quanto mais próxima de 1, mais frequentemente a doença é classificada como causa básica. Foram calculados indicadores para sexo, faixa etária e capital segundo CB e CM. Resultados: Quando avaliados apenas os óbitos que apresentam HIV/AIDS como CB, tem-se um total de 2.456 óbitos. Entretanto, ao considerar os óbitos com menção de HIV/AIDS em qualquer campo da declaração de óbito, a análise por CM indica um total de 2.508 óbitos. Obtiveram maior ganho em informações com a análise por CM os seguintes grupos: homens; pacientes com 50 anos ou mais; residentes do Rio de Janeiro. Conclusão: A análise por CM, ao considerar outras condições mencionadas nas declarações de óbitos, pode auxiliar a compreensão do processo de adoecimento da população, contribuindo, portanto, para vigilância de pessoas com HIV/AIDS.

Palavras-chave


HIV; síndrome de imunodeficiência adquirida; causas de morte; atestado de óbito; vigilância epidemiológica; morte

Texto completo:

PDF

Referências


Paim J, Travassos C, Almeida C, Bahia L, Macinko J. O sistema de saúde brasileiro: história, avanços e desafios. Lancet. 2011;377(9779):11-31.

Barata RCB. O desafio das doenças emergentes e a revalorização da epidemiologia descritiva. Rev Saúde Pública. 1997;31(5):531-7.

Dhalia CBC. Monitorização das doenças associadas à AIDS: um retrato em movimento [dissertação]. Recife: Departamento de Saúde Coletiva/CPqAM/FIOCRUZ/ MS; 1998.

Bastos FI, Pina MF, Szwarcwald CL. The social geography of HIV/AIDS among injection drug users in Brazil. Int J Drug Policy. 2002;13(2):137-44.

Santo AH. Potencial epidemiológico da utilização das causas múltiplas de morte por meio de suas menções nas declarações de óbito, Brasil, 2003. Rev Panam Salud Publica. 2007;22(3):178-86.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n.º 542, de 22 de dezembro de 1986. Diário Oficial da União. 24 dez. 1986;Seção 1:19827.

Rezende ELLF. Mortalidade por AIDS no Brasil [tese]. Brasília: Universidade de Brasília; 2012.

Laurenti R, Buchalla CM. A elaboração de estatísticas de mortalidade segundo causas múltiplas. Rev Bras Epidemiol. 2000;3(1-3):21-8.

Pereira CCA, Machado CJ, Rodrigues RN. Perfis de causas múltiplas de morte relacionadas ao HIV/AIDS nos municípios de São Paulo e Santos, Brasil, 2001. Cad Saúde Pública. 2007;23(3):645-55.

Laurenti R, Jorge MHPM, Gotlieb SLD. A mortalidade materna nas capitais brasileiras: algumas características e estimativa de um fator de ajuste. Rev Bras Epidemiol. 2004;7(4):449-60.

Domingues CSB, Waldman EA. Causes of death among people living with AIDS in the pre- and post-HAART Eras in the City of São Paulo, Brazil. PLoS One. 2014;9(12):e114661. DOI: 10.1371/journal.pone.0114661

Santo AH, Pinheiro CE, Jordani MS. Causas básicas e associadas de morte por AIDS, Estado de São Paulo, Brasil, 1998. Rev Saúde Pública. 2000;34(6):581-8.

Santo AH. Causas múltiplas de morte: formas de apresentação e métodos de análise [tese]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo; 1988.

Ishitani LH, França EB. Uso das causas múltiplas de morte em saúde pública. Inf Epidemiol SUS. 2001;10(4):163-75.

Barreto ML, Teixeira MG, Bastos FI, Ximenes RAA, Barata RB, Rodrigues LC. Sucessos e fracassos no controle de doenças infecciosas no Brasil: o contexto social e ambiental, políticas, intervenções e necessidades de pesquisa. Lancet [Internet]. 2011 [acesso em 20 out. 2014]; 6736(11):47-60.

Brasil. Ministério da Saúde. Bol Epidemiol AIDS DST. 2012;9(1).

Domingues CSB. Causas de óbito entre pessoas com AIDS no município de São Paulo 1991-2006 [dissertação]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2011.

Rezende ELLF, Vasconcelos AMN, Pereira MG. Causes of death among people living with HIV/AIDS in Brazil. Braz J Infect Dis. 2010;14(6):558-63.




DOI: https://doi.org/10.5327/Z1984-4840201727142

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba. ISSN eletrônico 1984-4840

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.