FILHA DA MARQUESINHA DE LA SIERPE: O CASO AÍDA CURI E A MÍDIA IMPRESSA DO FINAL DOS ANOS 1950

Micheliny Verunschk

Resumo


O assassinato da jovem Aída Curi no Rio de Janeiro, no final dos anos 1950, ganhou destaque na imprensa da época que, por meio de reportagens, artigos e fotonovelas, se empenhou numa espécie de santificação da personagem, agregando sua figura à da santa
católica italiana Maria Goretti. Fundamentado em teóricos como Jesús Martín-Barbero, René Girard e Marlyse Meyer, este artigo analisa a “indústria de narrativas”, as relações entre potencial de sacrificialidade, assassinato e consagração e, ainda, aspectos de folhetinização da
vida, delimitando o papel e alcance da mídia na instituição de devoções populares não canônicas.


Palavras-chave


Comunicação; Devoção Popular; Prática do Sagrado; Cultura Mista; Jornal Impresso

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.