TEACHERS' ACCOUNTS OF LANGUAGE VARIATIONS

Autores

  • João A. Telles Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Palavras-chave:

Crenças de professores, Reflexão de professores, Variação lingüística, Construtos pessoais, Língua materna

Resumo

O presente trabalho trata das perspectivas estigmatizantes que duas professoras de língua portuguesa trazem em relação às variações lingüísticas não-padrão de seus alunos. Teoricamente, meu estudo se embasa na Psicologia dos Construtos Pessoais, Transformação de Perspectivas na Educação de Professores, Bi-dialetalismo Transformador e Sensibilidade Crítica à Linguagem. Meus objetivos foram acessar e ponderar sobre as teorias implícitas das professoras sobre linguagem não-padrão e verificar como tais teorias afetam suas pedagogias. Suas aulas foram gravadas em vídeo e atividades com Mapas do Repertório de seus conceitos sobre língua portuguesa foram gravadas em áudio, transcritas e analisadas segundo a abordagem tematizante da Fenomenologia Hermenêutica. O estudo mostra que as teorias implícitas das duas professoras sobre variação lingüística definem suas posturas pedagógicas com base no déficit lingüístico e na gramática. Tais posturas estão em constante tensão com a experiência vivida dos professores no campo da linguagem e da pedagogia, com as restrições das instituições escolares e com falhas de suas formações universitárias.

Downloads

Publicado

2019-06-13

Edição

Seção

Artigos