Fonoaudiologia no Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica

um estudo de caso sobre a caracterização da atuação na saúde vocal dos professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-2724.2022v34i2e54909

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Fonoaudiologia, Distúrbios da Voz, Saúde do Trabalhador, Docentes

Resumo

Objetivo: caracterizar a atuação de profissionais fonoaudiólogos na saúde vocal de professores, no âmbito da Atenção Primária à Saúde, em um município do Nordeste do Brasil. Métodos: trata-se de um estudo de caso, com abordagem qualitativa. Participaram da pesquisa cinco profissionais fonoaudiólogas inseridas no Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica. A coleta de dados foi realizada a partir de entrevistas semiestruturadas. Os dados foram interpretados por meio da técnica de análise de conteúdo. Resultados: caracteriza-se a atuação fonoaudiológica na Atenção Primária em Saúde e saúde vocal de professores. São identificadas atividades realizadas pelos Núcleos de Apoio à Saúde da Família que favorecem o reconhecimento da Atenção Primário em Saúde como local virtuoso para ações de promoção da saúde e prevenção de agravos por meio de ações de Vigilância em Saúde do Trabalhador (a). O Programa Saúde na Escola é reconhecido como potente dispositivo para a realização de ações intersetoriais para a implementação do Protocolo de Distúrbios da Voz Relacionado ao Trabalho. Conclusão: as atividades realizadas pela fonoaudiologia se caracterizam por ações de promoção da saúde, realizado em equipe multiprofissional que assume o cuidado sobre um território. Existem limitações e desafios para o melhor desenvolvimento das ações que foram intensificadas pela pandemia de COVID-19. Importa que sejam realizados outros estudos que aprofundem a problemática. A fonoaudiologia é uma categoria profissional que contribui para a saúde das pessoas nos seus locais de vida e trabalho, tornando-se fundamental sua inserção na Atenção Básica do Sistema Único de Saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wiliane de Souza Martins, Universidade Federal de Pernambuco

Fonoaudióloga mestranda pela Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Ciência da Saúde.

José Marcos da Silva, Universidade Federal de Pernambuco

Fonoaudiólogo. PhD Human Rights in Contenporary Societies. Professor da Universidade Federal de Pernambuco, Departamento de Saúde Coletiva.

Fabiana de Oliveira Silva Sousa, Universidade Federal de Pernambuco

Professora da Universidade Federal de Pernambuco, Departamento de Saúde Coletiva.

Referências

Kubo SH, Gouvêa MA. Análise de fatores associados ao significado do trabalho. R. Adm. 2012; 47(4): 540-54.

Pinheiro LRS, Monteiro JK. Refletindo sobre desemprego e agravos à saúde mental. Cad. psicol. soc. trab. Rio Grande do Sul. 2007; 10(2): 35-45.

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei nº 8.080 de 19 de Setembro de 1990. Brasil. Ministério da Saúde. Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde. Brasília, DF: OPAS/OMS; 2001.

BRASIL. Portaria nº 1.823, de 23 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 ago. 2012. [Acesso em 15 nov 2019].Disponível em:http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt1823_23_08_2012.html.

Fortes FSG, Imamura R, Tsuji DH, Sennes LU. Perfil dos profissionais da voz com queixas vocais atendidos em um centro terciário de Saúde. Rev. Bras. Otorrinolaringol. 2007; 73(1): 27-31.

Sanches APR, Gama RP. O mal-estar docente no contexto escolar: um olhar para as produções acadêmicas brasileiras. Laplage em Revista. Sorocaba. 2016; 2(3): 149-62.

Fillis MMA, Andrade SM, González AD, Melanda FN, Mesas AE. “Frequency of self-reported vocal problems and associated occupational factors in primary schoolteachers in Londrina, Paraná State, Brazil.”. Cad. Saúde Pública. 2016; 32(1).

BRASIL. Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador, Secretaria de Vigilância em Saúde, Ministério da Saúde. Distúrbio de voz relacionado ao trabalho (DVRT). Brasília: Ministério da Saúde; 2018. (Saúde do Trabalhador, 11. Protocolos de Complexidade Diferenciada). [Acesso em 22 fev 2021].Disponível em: http://renastonline.ensp.fiocruz.br/sites/default/files/arquivos/recursos/protocolo_de_voz_2018_0.pdf.

BRASIL. Ministério da Saúde. PORTARIA Nº 2.436, DE 21 DE SETEMBRO DE 2017. [Acesso em 29 jun 2020]. Disponível em: http://https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html.

Fernandes EL, Cintra LG. A inserção da fonoaudiologia na Estratégia da Saúde da Família: relato de caso. Rev. APS. 2010; 13(3): 380-5.

Andrade AF, Lima MM, Monteiro NP, Silva VL. Evaluation of the shares of Speech Therapy in the NASF in Recife. Audiol Commun Res [Internet]. 2014 [acesso em 2021 Fev 1];19(1): 52-60. Disponível em: https://www.scielo.br/j/acr/a/CZ3Jw5psnkJtgfnkMv4jXRv/?lang=en

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Núcleo de Apoio à Saúde da Família / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 116 p.: il. – (Cadernos de Atenção Básica, n. 39).

Xavier IALN, Oliveira ACS, SILVA DM. Vocal health of teacher: phonoaudiologic intervention in primary health care. Rev. CEFAC. 2013; 15(4): 976-85.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 225; 1977.

Sales WB, Oliveira ASC, Pereira LEA, França JGM, Marcelino MC, Gerônimo CAS et al. A importância da equipe NASF/AB - enfretamentos e multidisciplinariedade: uma revisão narrativa/crítica. REAS [Internet]. 2020 [acesso em 2021 abr 7]; (48):e3256. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/saude/article/view/3256.

Soleman C, Martins CL. Rev. The work of speech therapists under Support Centers for Family Health (NASF) – specificities of Primary Care. Rev. CEFAC. 2015;17(4): 1241- 53.

Luchesi KF, Mourão LF, Kitamura S. Ações de promoção e prevenção à saúde vocal de professores: uma questão de saúde coletiva. Rev. CEFAC. 2010; 12(6): 945-53.

Andrade LDF, Junior FCXL, Medeiros HA, Gonçalves RL. A importância da saúde vocal em diferentes categorias profissionais: uma revisão integrativa. Revista da Universidade Vale do Rio Verde [Internet]. 2015 [acesso em 2021 fev 1]; 13(1): 432-41. Disponível em: http://periodicos.unincor.br/index.php/revistaunincor/index.

Oliveira MAB, Monteiro LS, Oliveira RC, Moreira TS, Marques ACF, Silva UMA, et al. A prática do núcleo de apoio à saúde da família do Recife no enfrentamento à pandemia COVID-19. APS em Revista [Internet]. 2020 [acesso em 2021 fev 2]; 2(2): 142-50. Disponível em: https://apsemrevista.org/aps/about.

PERNAMBUCO. DECRETO Nº 48.810, DE 16 DE MARÇO DE 2020 que regulamenta, no Estado de Pernambuco, medidas temporárias para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus responsável pelo surto de 2019. [Acesso em 3 Fev 2021]. Disponivel em:https://legis.alepe.pe.gov.br/texto.aspx?id=49423&tipo=TEXTOORIGINAL.

Guckert SB, Souza CR, Arakawa-Belaunde AM. The role of speech-language therapists in primary healthcare from the perspective of professionals in family health support centers. Rev. CoDAS [Internet]. 2020 [acesso em 2021 fev]; 32(5): 1-8. Disponível em: http://portal.revistas.bvs.br/index.php?mfn=2349&about=access&lang=pt#.

Lustosa KL, Silva TFA. A educação em saúde como potencialidade no cuidado da saúde vocal dos professores. REVASF [Internet]. 2018 [acesso em 2021 fev 1]; 8(17): 39-57. Disponível em: https://www.periodicos.univasf.edu.br/index.php/revasf/about.

Costa JP, Jorge MSB, Vasconcelos MGF, Paula ML, Bezerra IC. [Solvability of the caretaking in primary care: multiprofessional articulation and services network]. Saúde Debate [Internet]. 2014 [acesso 2021 Fev 1]; 38(103): 733-43. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5935/0103- 1104.20140067. Portuguese.

Protasio APL, Silva PB, Lima EC, Gomes LB, Machado LS, Valença AMG. Avaliação do sistema de referência e contrarreferência do estado da Paraíba segundo os profissionais da Atenção Básica no contexto do 1º ciclo de Avaliação Externa do PMAQ-AB. Saúde Debate [Internet]. 2014 [acesso 2021 Fev 1];38 (n° especial): 209-20. Disponível em: http://portal.revistas.bvs.br/index.php?mfn=9830&about=access&lang=pt# https://www.scielo.br/j/sdeb/a/ZHsXftMbtcpD9hbGWrPKb6j/abstract/?lang=pt

Farias ICV, Sá RMPF, Figueiredo N, Filho AM. Análise da Intersetorialidade no Programa Saúde na Escola. Rev. bras. educ. méd. 2016; 40(2): 261-7.

Lancman S, Daldon MTB, Jardim TA, Rocha TO, Barros JO. Workers’ health intersectoriality: old questions, new perspectives? Ciênc. Saúde Colet. 2020; 25(10): 4033- 44.

Pereira MS, Oliveira KT, Silva IA. Atuação intersetorial em saúde do trabalhador: desafios e possibilidades. Cad. psicol. soc. trab.2018; 21(2): 119- 31.

Moura JS, Ribeiro JCOA, Neta AAC, Nunes CP. A precarização do trabalho docente e o adoecimento mental no contexto neoliberal. RPD. 2019; 19(40): 1-17.

Freitas CNJ, Almeida AA, Ferreira DAH, Medeiros CMA, Maria Fabiana, Silva BL. The working conditions and schools teachers voice of public and private. Audiol Commun Res [Internet]. 2019 [acesso 2021 Jan 30]. Disponível em: https://www.scielo.br/j/acr/a/t5zvzcNWS77tr7s4YXfLVyw/?lang=en&format=pdf#:~:text=The%20public%20school%20teachers%20from,those%20from%20the%20private%20school.https://www.scielo.br/j/acr/a/t5zvzcNWS77tr7s4YXfLVyw/?lang=en&format=pdf#:~:text=The%20public%20school%20teachers%20from,those%20from%20the%20private%20school.

Silva GJ, Almeida AA, Lucena BTL, Silva MFBL. Vocal symptoms and self-reported causes in teachers. Rev. CEFAC. 2016; 18(1): 158-166.

Publicado

2022-06-21

Edição

Seção

Artigos