A partilha do espaço urbano e a questão do outro próximo: repercussões no discurso teórico e na ficção cinematográfica

Vera Lúcia Follain Figueiredo

Resumo


A urbanização em massa e as migrações, na modernidade tardia, embaralham as fronteiras entre interioridade e exterioridade, abalando identidades constituídas a partir do traçado dessas mesmas fronteiras. Se o outro distante, espetacularizado pelas mídias, não constitui uma ameaça à identidade, o outro próximo desperta reações radicais. Tal quadro leva a indagar se o contato próximo com esse outro, em meio ao crescimento desordenado das megalópoles, não seria a grande motivação para o retorno da reflexão sobre a política, pelo viés da estética, que tem pontuado parte da produção teórica europeia mais recente. Colocando em diálogo tais teorias e obras cinematográficas de ficção que também tematizam a questão das diferenças, discute-se o movimento contínuo de redefinição de fronteiras, decorrente da dificuldade de partilhamento dos espaços públicos com o outro “real”.

Palavras-chave


estética; política; cinema.

Texto completo:

PDF