Reportagens de ideias, uma contribuição de Foucault ao jornalismo

Beatriz Marocco

Resumo


Michel Foucault (1926-1984) denominou “reportagens de ideias” uma série de reportagens que fez no Irã em 1978 para o jornal italiano Corriere della Sera. Nosso objetivo no presente texto é descrever primeiramente como estas se relacionaram com a intenção de Foucault de enriquecer as práticas jornalísticas com um olhar local e crítico, do intelectual que testemunha o “nascimento das ideias”. Em um segundo movimento, avançamos na descrição de um tipo de fonte que se afastou dos atributos de autoridade, produtividade e credibilidade que são reconhecidos pelo jornalismo hegemônico. Em Teerã e Qom, dezenas de iranianos que Foucault encontrava nas ruas forneceram informações sobre o que não era dito pelos jornais do Ocidente. Já nas ações do Grupo de Investigações sobre as Prisões (GIP), Foucault foi para frente dos presídios em dias de visita entrevistar familiares de presos sobre a situação intolerável dos presídios franceses. Alem do jornalismo, em outra dimensão das duas ações, ele esperava proporcionar esclarecimento e capacidade de intervenção em sua própria realidade aos indivíduos que ganharam a condição de fontes.

Texto completo:

PDF