A nova classe média em I Love Paraisópolis: efeitos de sentido do social

Conrado Moreira Mendes

Resumo


Neste artigo, procura-se compreender como se dá a construção discursiva da nova classe média (também chamada de nova classe C) na telenovela I Love Paraisópolis, à luz da semiótica de linha francesa. Para isso, toma-se como corpus o primeiro capítulo dessa produção, exibida pela Rede Globo em 2015. Nela, a personagem principal, Marizete, é moradora da favela de Paraisópolis em São Paulo. Nota-se que, nesse caso, a nova classe C não apenas faz parte, mas protagoniza a trama central. Assim, entende-se que a nova classe média tem seu locus privilegiado na favela/comunidade que intitula a telenovela em questão, da qual se analisam algumas cenas, tendo em vista os níveis narrativo e discursivo do percurso gerativo do sentido, de Greimas. Finalmente, levando em conta o modelo de Landowski (2002), que diz respeito aos modos de relação com a alteridade, procura-se demonstrar como se estabelecem as relações entre cidade e favela, considerando-se também alguns elementos da visualidade. Esse percurso permite compreender, assim, algumas tessituras do social em I Love Paraisópolis, entendendo-se, evidentemente, esse social como um efeito de sentido.


Palavras-chave


Telenovela. Nova classe média. Semiótica de linha francesa.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM