Presenças do sensível nos processos interacionais

Kati Eliane Caetano

Resumo


O acionamento de componentes sensíveis nas relações comunicacionais, seja sob a ação de estratégias midiáticas ou como decorrência da estrutura interacional inerente às trocas em redes, reanima o debate sobre o papel da experiência estética na comunicação, assim como, paradoxalmente, seu desdobramento na afirmação de uma crise da experiência estética. Visando a superar uma oposição simplista entre sensação e cognição, o presente artigo retoma dois conceitos fundamentais de definição do estético na comunicação, para redimensioná-los no âmbito daquela polêmica, quais sejam, o de estesia e, o de excepcionalidade, que passam a ser tratados nos termos de uma inteligibilidade do sensível. Desse ponto de vista, a questão do sentido não se traduz em leituras de caráter hermenêutico; compreende, sim, formas de presença no mundo de que derivam regimes de significação que se manifestam sobre um modo musical e necessariamente interacional.

Texto completo:

PDF