UM COPO DE CÓLERA: A AFIRMAÇÃO DE SI E A DESTRUIÇÃO DO OUTRO

Edna Maria F.S. Nascimento, Vera Lúcia R. Abriata

Resumo


Interessa-nos algumas cenas enunciativas da novela “Um copo de cólera”, de Raduan Nassar, e o suporte teórico que empregamos para analisá-las é a semiótica francesa. Nas cenas escolhidas, instaura-se um verdadeiro duelo entre uma jovem jornalista e um homem de meia idade. Desse modo, eles tentam afirmar-se e destruir-se mutuamente, sobrepujando ao pragmático e ao cognitivo o seu papel de sujeito passional. Manifesta-se, dessa forma, na novela nassariana, a configuração do dispositivo passional da cólera. É essa discursivização da cólera o objeto de análise deste texto.

Palavras-chave


sujeito passional; paixão; cólera; Raduan Nassar

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Intercâmbio está indexada em:

        

Catálogo de Bibliotecas:

ISSN 2237-759X

A Intercâmbio e os textos aqui publicados estão licenciados com uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivatives 4.0 International. Baseado no trabalho disponível em http://revistas.pucsp.br/intercambio. Podem estar disponíveis autorizações adicionais às concedidas no âmbito desta licença em http://revistas.pucsp.br/intercambio.