Características prosódicas de enunciados declarativos e interrogativos na fala de habitantes de uma comunidade de prática Caiçara

Autores

  • Marta Aparecida de Faria Tanuri-Oliveira Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Mario Augusto de Souza Fontes Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
  • Sandra Madureira Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.23925/2237.759X.2022V52.e60455

Palavras-chave:

Projeto AMPER-POR, português brasileiro, prosódia, entoação, modalidades declarativa e interrogativa

Resumo

Os objetivos deste artigo, desenvolvido no âmbito do projeto AMPER-POR, são: analisar acusticamente e perceptivamente as características prosódicas de emissões de fala produzidas por três falantes masculinos e três femininos, habitantes de uma comunidade de prática caiçara do litoral norte do Estado de São Paulo; e apresentar o contexto regional e cultural no qual os referidos habitantes estão inseridos. Fazem parte do corpus, três frases declarativas e três interrogativas e enunciados semi-espontâneos. Os resultados apontam que a melodia da fala dos membros da comunidade de prática caiçara se distingue pela extensão maximizada e pela variabilidade alta do pitch.

Biografia do Autor

Marta Aparecida de Faria Tanuri-Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP. Mestre em Linguística pela Universidade Cruzeiro do Sul (2014). É pós-graduada em Ensino de Português, Literatura e Redação pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (2011). Possui graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Claretiano de Batatais (2007). Atualmente é professor de Educação Infantil na Prefeitura Municipal da Estância Balneária de Caraguatatuba, e é concursada em duas matrículas.

Mario Augusto de Souza Fontes, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Possui doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUCSP. Exerceu o cargo de Coordenador do Curso de Multimeios e foi assessor da Pró-Reitoria de Cultura e Relações Comunitárias da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo entre 2009 e 2012. Coordenador do Laboratório Integrado de Análise Acústica e Cognição da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É pesquisador do grupo de pesquisa em estudos sobre a fala (GeFALA) e membro da Luso Brazilian Association of Speech Sciences (LBASS). Tem experiência na área de Estudos da Linguagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Prosódia Visual e Vocal, Comunicação Multimidiática e Fonética Acústica. 

Sandra Madureira, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Possui graduação em Letras Português/Inglês e especialização em Linguística pela Universidade Católica de Santos, mestrado e doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP) e estágio de pós-doutorado no LAFAPE/UNICAMP. Atualmente é professora titular do Departamento de Linguística da PUCSP e professora do Programa de Estudos Pós-Graduados em Linguística Aplicada da PUCSP. Tem experiência na área de Linguística e Linguística Aplicada. É fundadora e líder do Grupo de Pesquisa em Estudos sobre a Fala (GeFALA), pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Análise e Modelamento Dinâmicos da Prosódia da Fala, fundadora e coordenadora do Laboratório Integrado de Análise Acústica e Cognição (LIAAC) e membro da Luso Brazilian Association of Speech Sciences (LBASS). É editora da Revista Intercâmbio em Linguística Aplicada da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e exerce atividades nas comissões editoriais de periódicos científicos. Desenvolve pesquisa no campo da Fonética Experimental, abordando como temas principais a Expressividade da Fala, a Expressão Facial de Emoções e Atitudes, o Simbolismo Sonoro, as Qualidades de Voz, a Entoação, a Aquisição de Sons de L2, a Variação Fonética e os Distúrbios de Fala.

Referências

ABIRACHED, C. F. A. Ordenamento Territorial e Áreas Protegidas: conflitos entre instrumentos e direitos de populações tradicionais de Ubatuba-Paraty. Brasília: UnB, 2011. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/handle/10482/9568>.Acessado em: 04/06/2019.

ALMEIDA, A. GOBI, A. RODRIGUES, G. Caiçaras, o tradicional povo do litoral brasileiro. Disponível em: <https://www.comciencia.br/caicaras-o-tradicional-povo-do-litoral-brasileiro/>. Acessado em: 10/02/2021.

BARBOSA, P. A. “Syllable-timing in Brazilian Portuguese”: uma crítica a Roy Major. DELTA 16, 2000, pp. 369-402.

CAMARGO, C. P. Territorialidades caiçaras, urbanização e turismo no município de Paraty, RJ. Boletim Campineiro de Geografia, v. 6, n. 2, 2016. Disponível em: <http://agbcampinas.com.br/bcg/index.php/boletimcampineiro/article/view/301>. Acessado em: 05/05/2019.

CROCHIQUIA, A. R.; SILVA, L. L.; GREGORIO, G. P.; MADUREIRA, S. Prosódia no falar de um santista: um estudo fonético fonético-acústico. Revista intercâmbio, v. 39, 2019, pp. 43-57.

DIEGUES, A. C. (org.). A mudança como modelo cultural: O caso da cultura caiçara e a urbanização. In: DIEGUES, A. C. Enciclopédia Caiçara, Vol. I. São Paulo: Editora Hucitec, 2004.

FERREIRA, A. M. M.; CANTON, P.; SOUZA, A.; CAMARGO, Z. A.; MADUREIRA, S. Enunciados declarativos e interrogativos no falar de um sujeito de São José do Rio Preto: um estudo acústico. Revista intercâmbio, v. 39, 2019, pp. 58-73.

GONÇALVES, J. R. S. A Retórica da Perda. Os discursos de patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: Editora UERJ/MinC/IPHAN, 1996.

Localização da Comunidade Caiçara do Litoral Norte de São Paulo. Disponível em: <http://nridaln.cptec.inpe.br/>. Acessado em: 17/05/2020.

LOMBA, J. A.; CÓSTOLA, M. P. S.; FONTES, M. A. S.; MADUREIRA, S. Enunciados declarativos e interrogativos no falar de um sujeito de Sorocaba: um estudo fonético-acústico. Revista intercâmbio, v. 39, 2019, pp. 144-161.

MACKENZIE BECK, J. Vocal Profile Analysis Scheme: A User's Manual. Queen Margaret University College-QMUC, Speech Science Research Centre, Edinburgh, 2007.

MASSINI, G. A duração no estudo do acento e do ritmo em português. [Dissertação de mestrado]. Universidade Estadual de Campinas, 1991.

NUNES, N. N. Da oralidade à escrita: a transcrição grafemática ou ortográfica de memórias/histórias de vida de mobilidades Madeira/Brasil, O Princípio da Nona Ilha dos Madeirenses: Brasil. Actas do Colóquio As Mobilidades no Espaço e no Tempo, Funchal: Centro de Estudos de História do Atlântico, Direção Regional da Cultura, Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura, 2017, pp. 215-254, ISSN 1647-3949.

SERRA, D.; POLACZEK, M.; TANURI-OLIVEIRA, M. A. F.; MADUREIRA, S. Padrões entoacionais na fala de um Guaratinguetaense. Revista intercâmbio, v. 39, 2019, pp. 102-118.

Downloads

Publicado

2023-01-03

Como Citar

Tanuri-Oliveira, M. A. de F., Fontes, M. A. de S. ., & Madureira, S. . (2023). Características prosódicas de enunciados declarativos e interrogativos na fala de habitantes de uma comunidade de prática Caiçara. Intercâmbio, 52, e60455. https://doi.org/10.23925/2237.759X.2022V52.e60455

Edição

Seção

Artigos