A metrópole como espaço-tipo de uma experiência sensível

Julieta M. de Vasconcelos Leite

Resumo


A experiência sensível da metrópole nos finais do século XIX constitui, na obra de Georg Simmel, uma via de caracterização da cultura moderna. Ao descrever as diversas facetas da cidade grande, ele funda uma teoria sensível da modernidade, construída a partir da tomada de consciência de uma reconfiguração espacial que corresponde às novas formas de relações sociais e de existência coletiva. Abre-se assim uma perspectiva para os estudos urbanos com base na sensibilidade e na subjetividade. Este artigo propõe revisitar as análises da metrópole de Simmel enquanto proposta de uma abordagem estética das manifestações socioespaciais urbanas, a partir da qual podemos pensar as transformações das metrópoles contemporâneas.

Palavras-chave


Georg Simmel; metrópole; experiência estética

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: