Economia Criativa: uma estratégia de desenvolvimento urbano em Belo Horizonte

Autores

  • Renata de Leorne Salles Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Ciências Sociais, Programa de Pós- -Graduação em Ciências Sociais. Belo Horizonte, MG/Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5722-3753

DOI:

https://doi.org/10.1590/2236-9996.2022-5412

Palavras-chave:

Economia criativa, desenvolvimento urbano, produção do espaço, política pública, inflexão neoliberal

Resumo

Este artigo pretende construir uma base de reflexão sobre a Economia Criativa como estratégia de desenvolvimento urbano, adotada no Brasil nas últimas décadas. Será traçado um panorama acerca do novo setor através de uma revisão bibliográfica e, para exemplificar, tomaremos a cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde tal segmento vem sendo incorporado pelos governos estadual e municipal através de políticas públicas culturais visando à valorização do plano local. As propostas mapeadas na capital nos permitirão pensar sobre a hipótese da adoção da Economia Criativa como um modelo de crescimento econômico que corrobora com a lógica de transformação espacial por meio da prática do empreendedorismo urbano local – baseada numa dinâmica rentista-financeira –, incentivando novos estudos na área.

Publicado

2022-05-22