Psicologia escolar na escola pública: desafios para a formação do psicólogo

Ana Ignez Belém Lima Nunes, Artur Bruno Fonseca de Oliveira, Aline Guilherme de Melo

Resumo


Propõe a reflexão acerca da formação e atuação do psicólogo na área educacional. Para tanto, foi analisada uma experiência de inserção, em uma escola municipal de Fortaleza, desenvolvida no Serviço de Psicologia Aplicada da Universidade Estadual do Ceará e apoiada pelo CNPq, realizada pelo Laboratório de Estudos da Subjetividade e Saúde Mental da mesma instituição. Na primeira parte do artigo, foi procedida a breve contextualização da rede pública de ensino no Brasil e no Ceará, bem como a aproximação conceitual entre as àreas da Psicologia e da Educação. Em seguida, foi relatada a experiência e, por fim, realizada a análise e discussão sobre a inserção do psicólogo na rede pública de ensino. Os resultados indicam aspectos nos quais a prática do psicólogo na escola pública se diferencia de práticas no ensino particular. Nas instituições públicas, o plantão psicológico emerge como possibilidade de espaço de escuta dos docentes e de reflexões sobre sua vida e trabalho. Aparecem também questões sociais, políticas e ideológicas como instrumentos para se alcançar maior mobilização dos agentes no ambiente escolar, ajudando-os a compreender a educação como práxis mediatizada de transformação social e de compreenção de seu papel como sujeitos históricos. Nesse sentido, o artigo contribui para o debate acerca da necessidade da ampliação da psicologia escolar no contexto da escola pública brasileira.


Palavras-chave


formação do psicólogo; psicologia educacional; psicologia histórico-cultural

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5935/2175-3520.20190002

Apontamentos

  • Não há apontamentos.