A fé dos jornalistas e as práticas religiosas no Brasil

Jacques Mick, Kevin Willian Kossar Furtado

Resumo


O artigo compara os dados disponíveis sobre as religiões dos jornalistas brasileiros com as características gerais da religiosidade da população a partir dos dados presentes no Perfil do jornalista brasileiro, de 2012, e no censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O objetivo é compreender se as particularidades da experiência religiosa entre os jornalistas podem ter efeitos na cobertura do tema, algo que é relevante diante das consequências sociopolíticas e econômicas das mudanças recentes na religiosidade no país. Os dados indicam três diferenças marcantes entre os jornalistas: a) presença mais significativa de não praticantes e ateus; b) participação significativamente menor de católicos e evangélicos; e c) maior expressividade de espíritas e praticantes de religiões de origem africana. O texto suscita a hipótese de que essas diferenças, junto a outros fatores, podem explicar fenômenos como a relativa desatenção da cobertura jornalística ao crescimento da população neopentecostal no país e as abordagens em geral positivas que o espiritismo recebia da mídia.


Palavras-chave


Jornalistas; Religiosidade; Perfil do jornalista brasileiro; Brasil; Neopentecostalismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1677-1222.2019vol19i3a17

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 REVER - Revista de Estudos da Religião