ORIGENS DA POLÍTICA RADICAL NA AMÉRICA LATINA: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE JOSÉ MARTÍ, JUAN B. JUSTO E RICARDO FLORES MAGÓN

Autores

  • Fabio Santos Doutor em História pela Universidade de São Paulo (USP). Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Palavras-chave:

América Latina, Política Radical, José Martí, Juan B. Justo, Ricardo Flores Magón

Resumo

Este artigo condensa os resultados, no plano político, de uma pesquisa de doutorado que analisa, em uma perspectiva comparada, como nascem, evoluem e são frustrados três projetos de democratização radical  na América Latina nos primórdios do imperialismo.  José Martí (1853-1895) em Cuba, Juan B. Justo (1865-1928) na Argentina, e Ricardo Flores Magón (1874-1922) no México, lideraram esforços intelectuais e políticos orientados a superar os constrangimentos à integração nacional legados pela origem colonial, que se expressaram em um pensamento que fundamentou a atuação dos partidos que dirigiram. Partindo de premissas ideológicas e políticas distintas, mas orientados por um desígnio democrático comum, nossa hipótese é que a comparação entre estes autores sugere as balizas que referenciavam a máxima consciência possível da militância radical no continente naquele contexto.

 

Biografia do Autor

Fabio Santos, Doutor em História pela Universidade de São Paulo (USP). Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Doutor em História pela Universidade de São Paulo (USP). Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

Downloads

Publicado

2014-05-27