4.2 O ETHOS DO HERÓI RISÍVEL NOS CAUSOS DE PANTALEÃO

Luana Ferraz

Resumo


Neste artigo, investigamos a constituição do ethos do Coronel Pantaleão Pereira Peixoto, uma das mais celebradas personagens do humorista brasileiro Chico Anysio (1931-2012), nos contos do livro É mentira, Terta? (1973). Para tanto, valemo-nos, prioritariamente, do arcabouço teórico fornecido pela retórica aristotélica e pelas neorretóricas, tanto no que concerne à dimensão ética do discurso e às suas propriedades (phrónesis, areté e eúnoia) quanto à produção do humor e ao estabelecimento do orador como objeto do riso. Desse modo, procuramos mostrar como os expedientes retóricos contribuem para a construção da imagem do valente e hiperbólico contador de causos nordestino e quais são as estratégias utilizadas pela personagem na tentativa de manter a sua credibilidade diante da incompatibilidade dos fatos narrados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




     INDEXADORES: