Ensino superior e adoecimento docente: um estudo em uma universidade pública

Amanda Gabriella Oliveira Tundis, Janine Kieling Monteiro

Resumo


O risco à saúde mental de um trabalhador pode surgir de diferentes dimensões e, conforme a Clínica Psicodinâmica do Trabalho, é possível traçar um perfil dos efeitos do trabalho no processo de adoecimento. Esta pesquisa teve o objetivo de identificar fatores críticos do contexto laboral de docentes do ensino superior público associados a riscos à saúde mental. Participaram 52 docentes, com idade entre 23 a 58 anos, de uma universidade pública da região amazônica. Foi utilizado um questionário sociodemográfico e laboral e o Inventário sobre Trabalho e Risco de Adoecimento, focalizando o contexto do trabalho, vivências de prazersofrimento e danos à sua saúde. Dentre os resultados, verificou-se que o contexto de trabalho foi avaliado como crítico. Fatores relacionados ao prazer foram satisfatórios para realização profissional. Em relação ao sofrimento foi pontuado como mais crítico o esgotamento profissional. Os danos físicos e psicológicos também foram identificados como críticos e os danos sociais como suportáveis. Esses resultados indicam a necessidade de se pensar alternativas para prevenir riscos de adoecimento mental no trabalho e, ainda, de se dialogar acerca do contexto de trabalho vivenciado pelos docentes de universidades públicas.

Palavras-chave


educação superior, trabalho docente, setor público

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.