O que as imagens dos livros didáticos de matemática nos dizem sobre multiculturalismo?
What the mathematic's textbooks images tell us about multiculturalism?

Andreia Cristina Rodrigues Trevisan, Andreia Dalcin

Resumo


Neste artigo temos por objetivo discutir sobre o multiculturalismo numa perspectiva crítica e a implicação desta para a Educação Matemática, tendo como foco as imagens presentes em duas coleções de livros didáticos destinados ao ensino fundamental, no tocante a questão étnico-racial, gênero e cadeirante. Tal discussão se justifica como relevante, pois procura refletir sobre os discursos que podem estar sendo veiculados ou silenciados através destas imagens. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, de cunho interpretativo. Os resultados da pesquisa indicam que as imagens das coleções analisadas tendem a um discurso de multiculturalismo humanista liberal, em que se procura reforçar o argumento de que existe uma igualdade natural entre as pessoas.

 

In this article we aim to discuss multiculturalism a critical perspective and its implication for Mathematics Education, focusing on the images found in two collections of textbooks for teaching fundamental question regarding the racial-ethnic, gender and wheelchair. Such discussion is justified as relevant, because reflects on the discourses that can be silenced or being conveyed through these images. This is an interpretative qualitative study. The survey results indicate that the images of analyzed collections tend to a multiculturalism's liberal humanist discourse, which seeks to strengthen the argument that there is a natural equality among people.



Palavras-chave


multiculturalismo; educação matemática; livro didático

Texto completo:

PDF

Referências


CANEN, A. (2008). A Educação Brasileira e o Currículo a partir de um Olhar Multicultural: algumas tendências e perspectivas. In: BARROS, J. F. P.; OLIVEIRA, L. F. (orgs). Todas as cores na educação: contribuições para uma reeducação das relações étnico-raciais no ensino básico. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ.

CORAZZA, S.; SILVA, T. T. (2003). Composições. Belo Horizonte : Autêntica.

FRANKESTEIN, M. (2005). Educação matemática crítica: uma aplicação da Epistemologia de Paulo Freire, IN: Bicudo, M. A. V. (org). Educação Matemática. 2ª ed. São Paulo, Centauro.

LARROSA, J. (2004). Agamenon e seu porqueiro. Trad. Tomaz Tadeu da Silva In: ______. Pedagogia profana: danças, piruetas e mascaradas. 4. ed. Belo Horizonte, Autêntica, p. 149-166.

MCLAREN, P. (2000). Multiculturalismo Crítico. Trad. Bebel Orofino Schaefer. 3 ed. São Paulo, Cortez.

SANTOS, B. S. (2001). Para uma Concepção Multicultural dos Direitos Humanos. Contexto Internacional, Rio de janeiro, vol. 23, nº 1, janeiro/junho. pp. 7-34.

SILVA, M. J. A.; BRANDIM, M. R. L. (2008). Multiculturalismo e educação: em defesa da diversidade cultural. Revista Diversa, ano I, nº 1, p. 51-66, jan/jun.

SILVA, T. T. (2007). Documentos de Identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2 ed. 10 reimp. Belo Horizonte, Autêntica.

______. (2012). A produção social da identidade e da diferença. In: Silva, T. T. (org). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 11 ed. Petrópolis, RJ, Vozes.

SKOVSMOSE, O. (2001). Educação Matemática Crítica: a questão da democracia. Campinas, SP, Papirus.

______. (2005). Guetorização e globalização: um desafio para a Educação Matemática. Trad. Jefferson Biajone. Zetetike – Cenpem – FE Unicamp, v. 13, nº 24, jul/dez.

______. (2007). Educação Crítica: incerteza, matemática, responsabilidade. Trad. Maria Aparecida Viggiani Bicudo. São Paulo, SP, Cortez.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


INDEXADORES DA REVISTA