Do desejo do outro ao desejo de ascender à leitura e à escrita no romance “A menina que roubava livros”

Elisangela Maria da Silva

Resumo


O presente estudo versa a respeito do desejo da leitura e da escrita da personagem Leisel, do romance A menina que roubava livros, que foram analisados a partir da lógica psicanalítica, fundada por Freud e atualizada por Lacan. É comum a criança em idade de alfabetização enfrentar angústias como efeito de algumas demandas familiares e sociais como, por exemplo, período determinado para ascensão à leitura e à escrita. Pensando na criança em que tal ascensão escapa a esse período, como no caso da nossa personagem, surgem-nos algumas questões: Como interpretar a captura desta pelo escrito mesmo antes da alfabetização? Qual a posição tomada por Liesel para ascender à leitura e à escrita? Partimos do pressuposto que tal posição transpõe a demanda do outro para a demanda do desejo e que o sujeito falante é efeito dos textos e discursos aos quais teve acesso desde as primeiras experiências de vida.


Palavras-chave


Desejo; Leitura; Escrita

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2019i22p185-204

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: