No casulo da alteridade: o olhar etnográfico em “O Escafandro e a Borboleta”

Andréa de Andrade Lima Amaral

Resumo


O olhar sobre o outro está presente na literatura de várias maneiras: no autor que se faz outro ao escrever, e do leitor que se coloca no lugar do outro durante a experiência literária. Neste artigo, analisaremos como a escrita de si pode se aproximar de um trabalho etnográfico à medida que busca relações entre o que se foi e o que se tornou, buscando um distanciamento imersivo por meio da ficção. Neste sentido, aproximaremos a postura de Bauby na sua autobiografia, O Escafandro e a Borboleta da postura do etnógrafo, no que concerne o estranhamento de si e a reinserção num contexto outro. Estes múltiplos olhares permearão a narrativa, permitindo uma análise de si tanto do autor / personagem quanto do leitor, num processo de alteridade que permite, através de uma percepção do outro, um conhecimento profundo de si mesmo.


Palavras-chave


Alteridade; Escritas de si; Etnografia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2019i22p167-184

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: