Só me interessa o que não é meu: a busca antropofágica da alteridade

Edgar Rosa Vieira Filho

Resumo


O presente ensaio tem por objetivo refletir sobre a noção de alteridade suscitada pela metáfora/poética antropofágica, idealizada por Oswald de Andrade (1890-1954) em seu Manifesto Antropófago (1928) e posteriormente retomada pelo autor na década de 1950. No seu texto “Um Aspecto Antropofágico da Cultura Brasileira: O Homem Cordial" (1950), Oswald escreve sobre a sua própria compreensão do fenômeno da alteridade e deixa revelar a presença dessa noção no seio da proposição antropofágica. A fim de se compreender essa relação intrínseca entre a metáfora modernista e a noção de alteridade, buscou-se também apresentar algumas reflexões da crítica contemporânea que evidenciam essa relação e enfatizam a atualidade e a potência reflexiva presentes nas ideias oswaldianas.


Palavras-chave


Oswald de Andrade; Antropofagia; Alteridade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2019i22p73-89

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: