Alteridade e liminaridade na Comédia de Dante: epifanias literárias entre Inferno, Purgatório e Paraíso

Augusto Rodrigues da Silva Junior

Resumo


Este estudo estabelece relações dialógicas entre os três volumes/espaços definidos pela Divina Comédia de Dante e pela tradição cristã. Apresentamos relações epifânicas entre as três camadas tanatográficas percorridas pelo autor do século XIV: Inferno, Purgatório e Paraíso. A partir das noções de catábase (descida mágica e transformadora aos infernos, conforme Eudoro de Sousa), liminaridade (condição liminar, limite, entre-lugar, a partir de Victor Turner) e anábase (retorno espetacular do inferno que engendra sabedoria também conforme Sousa), engendramos mirada pela tanatografia (escrita de morte) em Dante a fim de perscrutar o logos dialógico (no esteio de Bakhtin) que se desdobra no imenso universo autoral constituído pela tradição dos diálogos dos mortos. A Divina Comédia, como a entendemos, figura uma profunda catábase em relação ao eu-autoral: epifania do literário às portas da modernidade no Ocidente.

 


Palavras-chave


Dante; Divina Comédia; Alteridade; Liminaridade; Epifania

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2019i22p131-150

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: