A Clarice de Benjamim Moser: uma "evidência folclórica"

Thiago Cavalcante Jeronimo

Resumo


Este artigo apresenta posicionamentos críticos acerca dos escritos de Benjamin Moser. Para tanto, apoia-se, sobretudo, nas contribuições de Benjamin Abdala Júnior sobre as coincidências e os equívocos que o norte-americano apregoa na biografia Clarice, (lê-se “Clarice vírgula”), nas inferências de Márcia Lígia Guidin a respeito do relançamento da biografia escrita pelo biógrafo pelo selo da Companhia das Letras e, ainda, na pesquisa de Breno Couto Kümmel e Ludimila Moreira Menezes no tocante à introdução que Moser faz à publicação da obra Crônica da casa assassinada, de Lúcio Cardoso, nos Estados Unidos. Busca-se, pautando-se pelos pronunciamentos dos críticos supramencionados, averiguar nas publicações do norte-americano um discurso marcado por elementos antiéticos e da ordem da ilegitimidade.

 


Palavras-chave


Clarice Lispector; Benjamin Moser; Biografia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2019i23p158-170

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 FronteiraZ. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: