'Uma aprendizagem' outra: ensaio crítico-criativo de 'O livro dos prazeres', de Clarice Lispector

Maruzia de Almeida Dultra

Resumo


Este ensaio se apresenta como uma carta da personagem Loreley endereçada a Ulisses, professor de Filosofia por quem ela é apaixonada. Como estratégia poética, rearranjamos trechos do livro Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres (LISPECTOR, 1970), para constituir a escrita de Lóri enquanto remetente. Portanto, o romance se torna epistolar a partir do presente texto, que realizamos através do “modo intensivo de leitura” (DELEUZE, 2010) da obra, e do modo intensivo de escritura, tanto de Clarice Lispector, quanto da carta que aqui enviamos. Em lugar da interpretação da escrita clariceana, optamos pela experimentação a partir dela, ficcionalizando não só o livro, mas o próprio ato literário. Todo este texto é uma citação adulterada que clama pela narrativa como um “bloco de sensações” (DELEUZE; GUATTARI, 2010), trazendo para o corpo que escreve a voz da protagonista e colocando o leitor no lócus de personagem da trama, o destinatário da epístola.


Palavras-chave


Modo intensivo de leitura; Poética da adulteração; Carta; Clarice Lispector

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2019i23p42-56

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 FronteiraZ. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: