“Meninos” e “Professoras”? Pragmática social numa instituição de cuidado de defi cientes

Ubiratan Garcia Vieira

Resumo


Apoiado em teses de Kanavillil Rajagopalan, para quem toda representação é política, pois é uma escolha dentre representações possíveis, e de Howard Becker, para quem toda representação é adequada a determinadas condições sociais de fazer e uso, apresento uma refl exão sobre os usos das designações “meninos” e “professoras”, observados durante as atividades de extensão realizadas numa instituição de cuidado de pessoas defi cientes. Esta instituição não é um espaço escolar, mas em vez de procurar responder se essas designações correspondem ou não à “realidade”, procurei entender a que realidade corresponde o uso dessas designações. Concluo que os usos das designações “meninos” e “professoras” evidenciam a posição marginal que a instituição ocupa no sistema municipal de ensino e colocam para os envolvidos, incluindo a equipe de extensão, um posicionamento quanto aos usos mais adequados ao contexto

Palavras-chave


Pragmática social; educação; pessoas com defi ciência; designação

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X