O pensamento utópico na poesia modernista: Mário de Andrade e T.S. Eliot

Priscilla Pellegrino de Oliveira

Resumo


O trabalho discute a concepção de Utopia a partir de seu surgimento na literatura, focalizando sua expressão na poesia modernista feita por dois poetas: Mário de Andrade, no Brasil, e T. S. Eliot, na Inglaterra. O objetivo desse estudo é vincular o pensamento utópico de tais artistas à insatisfação pessoal de cada um deles em relação às condições sócio-políticas das cidades em que viviam. Para isso, dois poemas, O Rebanho, de Mário de Andrade; e um trecho de Terra Desolada, de T. S. Eliot, foram analisados numa abordagem comparativa, envolvendo o mesmo momento histórico e data em que os textos foram escritos, a saber, 1922.

Palavras-chave


Utopia; poesia; modernism

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: