UM FANTSAMA INVADE A NARRATIVA CONTEMPORÂNEA DE NELSON DE OLIVEIRA

Maria Rosa Duarte de Oliveira, Juliana Daniel, Marilene Vieira, Natascha Paiva

Resumo


O conto “O Fantsama da Máqiuna” (2005), de Nelson de Oliveira, tem na figura-fantasma, que opera à semelhança de um vírus de computador, a responsável pela desestruturação da narrativa, desde a própria escrita em visível desordem. É nela que está o fundamento do ato narrativo que, em primeira instância, apresenta o envolvimento amoroso entre um narrador dramatizado e uma personagem feminina – Débora ou Deobra – em mutação constante entre a realidade de uma presença (a mulher) e a virtualidade de outra (a obra). Autor, narrador, personagem e texto estão em contínuo movimento de aparecimento-desaparecimento, revelando ao leitor um universo contaminado pela realidade virtual.

Palavras-chave


Nelson de Oliveira; narrativa contemporânea; contaminação; realidade virtual

Texto completo:

PDF O fantsama da máqiuna

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: