O tempo como matérias estilística e discursiva no romance urbano Senhora, de José de Alencar

Manoel Francisco Guaranha

Resumo


Este trabalho é vinculado ao Grupo de Pesquisa “Estudos Estilísticos”, do Programa de Pós Graduação em Linguística da Universidade Cruzeiro do Sul, cuja linha de pesquisa dedica-se às relações entre discurso, gramática e estilo e tem como objetivo investigar como José de Alencar (1829-1877) constrói estilisticamente por meio do romance Senhora (1875) aquele aspecto que ele denomina “fisionomia indecisa, vaga e múltipla, tão natural à idade da adolescência”, que imputa, no prefácio de Sonhos d’ouro (1872), como característica da infância da Literatura Brasileira. Nesse sentido, investiga-se o exemplar do romance urbano, Senhora, não apenas por meio da perspectiva do espaço em que se desenvolve a trama, mas também a partir das técnicas por meio das quais o autor manipula o tempo na narrativa, ora sugerindo o resgate mítico do passado, ora apresentando o tempo presente como matéria narrativa.

Palavras-chave


Discurso e estilo; José de Alencar; Senhora; Romance urbano

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: