Macedonio Fernández e a escrita da errância

Marcele Pereira da Rosa Zucolotto, Tania Mara Galli Fonseca

Resumo


Pretende-se ir ao encontro das questões contemporâneas surgidas da leitura da obra de Macedonio Fernández, em especial o Museu do Romance da Eterna, onde o autor traz o imprevisto em séries de prólogos que ocasionam uma intensa experiência de errância narrativa. Trata-se de abordar este conceito de errância que perpassa a obra de Macedonio e as maneiras pelas quais o mesmo acabou se tornando um modo de vida para ele e para seus escritos. Busca-se ainda desenvolver questões periféricas a essa experiência, incluindo aí reflexões sobre as descontinuidades que preenchem sua obra, os estranhamentos desviantes que sobressaem das relações autor-leitor, além da crítica à Modernidade realizada em seu processo de escrita, apontando as impossibilidades, incoerências e imperfeições que revelam seu viés extremamente contemporâneo.

Palavras-chave


Macedonio Fernández; Escrita; Contemporaneidade; Errância

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: