Proust e os limiares

Jonnefer Barbosa

Resumo


À la recherche du temps perdu”, de Marcel Proust possui uma fortuna crítica incontável, com leituras e estudos que vão de Walter Benjamin ao jovem Samuel Beckett, passando por Jean-Yves Tadié, Georges Poulet, Gilles Deleuze e Paul Ricoeur. Este texto se apresenta como uma nota ao conceito de limiar na escritura proustiana, perpassando, como comentário, alguns dos topoi constitutivos da obra de Proust, como as categorias de vestígio, memória e tempo. Em suas interrogações, o texto estabelece um diálogo específico com as leituras de Walter Benjamin, Samuel Beckett e Giorgio Agamben, buscando analisar o conceito de limiar em sua inscrição temporal, caracterização que entendemos decisiva para alguns desdobramentos importantes da filosofia contemporânea em torno da arte e da política.

Palavras-chave


Limiares; vestígio; Proust; literatura; verdade

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: