Versiprosa, de Carlos Drummond de Andrade: Crônicas-Poemas, Gênero Híbrido?

Sônia Pereira Dias, Ilca Vieira de Oliveira

Resumo


Este estudo aborda, em especial, as produções poéticas do livro Versiprosa (1967), que reúne crônicas escritas por Drummond para os jornais cariocas Correio da Manhã e Jornal do Brasil, e para a revista Mundo Ilustrado. Essa obra abarca 102 crônicas, escritas entre 1954 e 1970. Compreendemos que Carlos Drummond de Andrade destacou-se no meio literário e jornalístico como poeta e como cronista, estreitando os limites entre os gêneros: crônica e poesia. A sua escrita revela, por meio de uma linguagem peculiar e multifacetada, os conflitos que se verificam no contexto sócio-histórico e cultural em que viveu, permitindo que algumas de suas poesias evidenciassem esse conflito entre o “eu” e o mundo.

 


Palavras-chave


Versiprosa; Crônica; Poesia; Gênero híbrido, Carlos Drummond de Andrade

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: