Dimensões irônicas em Ricardo III, de Shakespeare

Pedro Piccoli Garcia

Resumo


Analisa-se, no artigo, as diferentes formas com que a ironia se efetiva em um texto literário. Parte-se do pressuposto de que a ironia configura, ao mesmo tempo, uma figura de linguagem, como uma sentença que anula a si mesma na medida em que orienta o leitor a rejeitar seu significado literal; e uma visão de mundo, na medida em que implica uma postura de negação de uma realidade. À luz dos preceitos de D.C. Muecke e Søren Kierkegaard, busca-se identificar as dimensões irônicas da peça Ricardo III, de William Shakespeare, e refletir acerca delas.


Palavras-chave


Ironia; Dimensões irônicas; Shakespeare; Ricardo III

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2017i19p291-303

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 FronteiraZ : Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em: