Representações da dobra no design gráfico de livros ilustrados para infância

Simone Cavalcante de Almeida, Gisela Belluzzo de Campos

Resumo


Desde a invenção do códice em Roma, a dobra faz parte constituinte da materialidade do livro, adquirindo variados usos e funções em diferentes culturas. Na realidade mais recente, os projetos de design gráfico vêm buscando explorar esse elemento para além de sua função de articulação das páginas. Propõe-se apresentar um breve painel sobre a representatividade da dobra no design de livros ilustrados de literatura para infância como um recurso capaz de enriquecer de novos significados a sua linguagem gráfica. Da articulação entre referenciais teóricos de design, literatura e estudos sobre a trajetória do livro – Linden, Melot, Salisbury e Styles, Febvre e Martin – e uma seleção de obras publicadas no Brasil, busca-se enfatizar a importância da dobra no processo de diferenciação do design desses livros.

 

Palavras-chave


Design; Design gráfico; Literatura para infância; Livros ilustrados; Dobra

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/1983-4373.2020i24p72-86

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 FronteiraZ. Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Literatura e Crítica Literária

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

FronteiraZ está indexada em:

Apoio: