A imagem-ritmo e o videoclipe no audiovisual

Felipe de Castro Muanis

Resumo


A televisão pode ser um espaço de reunião entre som e imagem em um dispositivo que possibilita a imagem-ritmo – dando continuidade à teoria da imagem de Gilles Deleuze, proposta para o cinema. Ela agregaria, simultaneamente, ca-racterísticas da imagem-movimento e da imagem-tempo, que se personificariam na construção de imagens pós-modernas, em produtos audiovisuais não necessariamente narrativos, porém populares. Filmes, videogames, videoclipes e vinhetas em que a música conduz as imagens permitiriam uma leitura mais sensorial. O audiovisual como imagem-música abre, assim, para uma nova forma de percepção além da textual tradicional, fruto da interação entre ritmo, texto e dispositivo. O tempo das imagens em movimento no audiovisual está atrelado inevitável e prioritariamente ao som. Elas agregam possibilidades não narrativas que se realizam, na maioria das vezes, sobre a lógica do ritmo musical, so-bressaindo-se como um valor fundamental, observado nos filmes Sem Destino (1969), Assassinos por Natureza (1994) e Corra Lola Corra (1998).

Palavras-chave


imagem-ritmo; videoclipe; textos produzíveis

Texto completo:

PDF