A direção do tratamento quando as palavras estão fora de lugar

supervisão e desdobramentos terapêuticos em um caso de transtorno de linguagem na infância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.23925/2237.759X.2022V51.e57725

Palavras-chave:

linguagem infantil, transtorno de linguagem, psicanálise, interdisciplinaridade

Resumo

A clínica com crianças convoca continuamente o fonoaudiólogo a rever sua prática quando mediante seu repertório teórico-clínico o tratamento não avança. Nestes momentos, a supervisão possibilita circular sentidos construindo novas articulações, desencadeadas pela escrita e escuta do seu dito. Esse dispositivo favorece olhar criticamente a condução do tratamento, colocando ideias em nova ordem. A desordem foi o mote da supervisão do caso apresentado, no qual as palavras estavam “fora de lugar” e a criança não encontrava interlocutores que apostassem em seu lugar de falante. A supervisão proporcionou novos manejos que pudessem conduzir Daniel a um lugar construtor de narrativas.

Biografia do Autor

Cristal Rebouças Carvalho Braga, Universidade Federal do Pará

Fonoaudióloga graduada pela Universidade da Amazônia - Unama (2004). Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Pará - UFPA (2021). Possui duas especializações: (1) Problemas do Desenvolvimento na Infância e Adolescência pelo Centro Lydia Coriat de Porto Alegre & FADERGS (2017) e, (2) Teoria Psicanalítica pela Faculdade Integrada Brasil Amazônia - Fibra (2011). Realizou Aperfeiçoamento em Motricidade Orofacial com Ênfase em Fonoaudiologia Neonatal pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Fonoaudiologia - CEPEF (SP) e Formação Avançada do Tratamento de Bebês no Conceito Neuroevolutivo Bobath pelo Centro de Estudos e Reabilitação Neurológica - CERN (RJ). Possui Certificação Internacional em Integração Sensorial pela Universidade do Sul da Califórnia. Participou do Curso teórico-prático França-Brasil: Atuação com bebês de 0 a 3 anos com seminários realizados em instituições francesas através do Instituto Langage ( SP). Possui experiência clínica em Fonoaudiologia Neonatal, Atendimento Pais-Bebês, Estimulação Precoce, Transtornos do Desenvolvimento Infantil, Dificuldades alimentares e Clínica da Linguagem.

Marta Gonçalves Gimenez Baptista, Instituto Travessias da Infância, Centro Lydia Coriat

Fonoaudióloga, Doutura em Fonoaudiologia pela Pontifícia Universidade Católica - PUC-SP; docente no Instituto Travessias da Infância/Lydia Coriat - SP.

Referências

ANDRADE, L. Os efeitos da fala como acontecimento na clínica fonoaudiológica. In: Letras de Hoje, 36(3): 261-265. Porto Alegre: setembro, 2001.

BAPTISTA, M.G.G. Tempo, desenvolvimento e distúrbios de linguagem, 2017. Disponível em: https://emais.estadao.com.br/blogs/crianca-em-desenvolvimento/tempo-desenvolvimento-e-disturbios-de-linguagem/. Acesso em 22/06/2019.

BERGÉS, J. Retardo da linguagem e afetividade. In: Escritos da Criança, (2): 21-29, 1997. Porto Alegre: Centro Lydia Coriat.

BERNARDINELI, M.; COLINO, V. Discussão de casos: o que é essa instância em Fonoaudiologia. In: ROCHA, A.C.; BAPTISTA, M.G.G. (org.) A criança e a palavra: a linguagem e suas articulações. Curitiba: CRV, 2018.

BRAGA, C.R.C. Quando os tropeços na aquisição da linguagem falam: a importância da escuta do sintoma na prática fonoaudiológica. Dissertação de Mestrado. UFPA, 2022. (inédita).

COSTA PEREIRA, M.E. “Psiquiatria baseada no sujeito”: o sujeito da psicanálise como fundamento ético para a clínica médica psiquiátrica. In: CATÃO, I. (org.) Mal-estar na infância e medicalização do sofrimento: quando a brincadeira fica sem graça. 78-92. Salvador: Ágalma, 2020.

FURNARI, E. Não Confunda. 3.ed. São Paulo: Moderna, 2011.

FUZARO, S.R.C.; PASSOS, M.C. Linguagem e (co)mensurabilidade dos fenômenos. In: PASSOS, M.C. (org.) A clínica fonoaudiológica em questão. 51-70. São Paulo: Plexus Editora, 2001.

LACAN, J. O estádio do espelho como formador da função do eu. In: Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1949/1998, 96-103.

LACAN, J. O Seminário. Livro 11. Os quatro conceitos fundamentais da Psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1964/2008.

DE LEMOS, C. Das vicissitudes da fala da criança e sua investigação. In: Cadernos de Estudos Linguísticos, (42), 41-69, 2002.

LEMOS, C.T.G. Sobre o paralelismo, sua extensão e a disparidade de seus efeitos. In: LIER-DEVITTO, M.F.; ARANTES, L. (org.) Aquisição, Patologias e Clínica de Linguagem. São Paulo: EDUC/FAPESP, 2006.

LIER-DEVITTO, M. F. Patologias da Linguagem: sobre as “vicissitudes de falas sintomáticas”. In: LIER-DEVITTO, M.F.; ARANTES, L. (org.) Aquisição, Patologias e Clínica de Linguagem. São Paulo: EDUC/ FAPESP, 2006.

OJEDA et al. O imprevisível e o ato criativo: a língua e a musicalidade na clínica da primeira infância – reflexões a partir de um caso clínico. In: JERUSALINSKY, J.; MELO, M. (Orgs.) Quando algo não vai bem com o bebê: detecções e intervenções estruturantes em estimulação precoce. Salvador: Ágalma, 2020.

OLIVEIRA, B. Instituição e Psicanálise. Da impotência à impossibilidade. Dissertação de Mestrado. PUC-SP, 2000. (inédita).

OLIVEIRA, B. Falar não é fácil. In: ROCHA, A.C.; BAPTISTA, M.G.G. (Orgs.) A criança e a palavra: a linguagem e suas articulações. Curitiba: CRV, 2018.

PALLADINO, R.R.R. Encontros e desencontros da Fonoaudiologia. In: PASSOS, M.C. (Org.) Fonoaudiologia: recriando seus sentidos. São Paulo: Plexus Editora, 1996.

PALLADINO, R.R.R. Linguagem e (co)mensurabilidade dos fenômenos. In: PASSOS, M.C. (Org.) A clínica fonoaudiológica em questão. 153-162. São Paulo: Plexus Editora, 2001.

PASTORELLO, L. Diagnóstico e posição clínica. In: ROCHA, A.C.; BAPTISTA, M.G.G. (Orgs.) A criança e a palavra: a linguagem e suas articulações. Curitiba: CRV, 2018.

ROCHA, A.C.; MAIA, S.M. Caso/Caos – Para que serve uma escrita. In: Distúrb Comun, 25(2): 385-291. São Paulo: agosto, 2013.

VORCARO, A. Crianças em psicanálise – clínica, instituição, laço social. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 1999.

WANDERLEY, D.B. A entrada do bebê no mundo da linguagem e sua relação com o outro parental. In: Psicanálise e clínica de bebês, 4(4): 53-61. Curitiba: 2000.

Downloads

Publicado

2022-10-07

Como Citar

Braga, C. R. C., & Baptista, M. G. G. (2022). A direção do tratamento quando as palavras estão fora de lugar: supervisão e desdobramentos terapêuticos em um caso de transtorno de linguagem na infância. Intercâmbio, 51, e57725. https://doi.org/10.23925/2237.759X.2022V51.e57725

Edição

Seção

Artigos