Sem pão e sem rosas: do feminismo marxista impulsionado pelo Maio de 1968 ao academicismo de gênero

Renata Gonçalves

Resumo


Neste artigo, pretendemos retomar a dinâmica do movimento feminista
destacando a particularidade de sua dupla face no Brasil: o feminismo
“revisitado” e o movimento de mulheres. Se na origem encontramos um
feminismo combativo nos moldes da explosão de maio de 1968, na atualidade  percebemos um feminismo cada vez mais confinado ao estudo acadêmico e/ou à institucionalização, sobretudo por meio das assessorias às ONGs, o que  contribuiu para o refluxo da luta de classes.

Palavras-chave


movimento feminista; estudo acadêmico; institucionalização; luta de classes;

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Lutas Sociais
Revista do Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS)
Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais – PUC/SP
Ministro Godói, 969 - 4º andar – Perdizes
CEP: 05015-001 - São Paulo - SP - Brasil
Fone/Fax: (+55 11) 3670-8517

Lutas Sociais está indexada em: