“Juventudes em Luta Pela Vida”

Autores

  • Jaquelina Maria Imbrizi Universidade Federal de São Paulo https://orcid.org/0000-0003-0950-6174
  • Maria Thereza Carvalho Lisboa Souza Universidade Federal de São Paulo
  • Fernanda Cristina Gomes Universidade Federal de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.23925/ls.v25i46.54827

Palavras-chave:

Juventudes, Território, Violência, Luta Política,

Resumo

Três autoras se unem para escrever sobre suas experiências com “juventudes-alvo” da linha de tiro dos policiais e da violação de direitos sociais. O objetivo do artigo é articular as três narrativas dessas mulheres, advindas de gerações e lugares diferentes, de modo a denunciar a violência contra crianças, adolescentes e jovens. O método utilizado foi o da escrevivência que propiciou, a cada uma delas, reflexões sobre o impacto do assassinato de adolescentes no desenvolvimento de pesquisas de mestrado, a coreografia que possibilitou a elaboração dos lutos diante das mortes reais e simbólicas vinculadas às agruras de viver em territórios visados por preconceitos de gênero, classe e etnia e a arte como ponto de ancoragem que liga as adolescências às forças da vida. Nas considerações finais há o aporte para a construção da terminologia “juventudes em luta pela vida”.

Biografia do Autor

Jaquelina Maria Imbrizi, Universidade Federal de São Paulo

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1984 -1988), mestrado e Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1997) e (2001) e pós-doutorado pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia: Psicologia Social da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Núcleo de Estudos e Pesquisa em Psicanálise e Política (2013 - 2015). Professora Associada da Universidade Federal de São Paulo - Campus Baixada Santista onde desenvolve atividades na graduação e nos Programas de Pós-graduação Stricto Sensu Ensino em Ciências da Saúde (Modalidade Profissional) e Interdisciplinar em Ciências da Saúde (Mestrado e doutorado acadêmicos). Membro do Laboratório de Psicanálise, Sociedade e Política (USP e PUC-SP) e do Laboratório de Psicanálise da Unifesp - Campus Baixada Santista. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicanálise e Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: arte, cultura e sociedade; mal-estar e violência; narrativa de história de vida e grupo como dispositivo.

Maria Thereza Carvalho Lisboa Souza, Universidade Federal de São Paulo

Graduada em Educação Física pela Universidade Santa Cecília (2014) e Especialista em Dança e Consciência Corporal pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (2016). Facilitadora nos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos da Assistência Social e proprietária do Estúdio do Movimento Maria Lisboa, ambos na cidade de Santos. Mestranda no Programa de Pós-Graduação Ensino em Ciências da Saúde - Modalidade Profissional - da Universidade Federal de São Paulo - Campus Baixada Santista na linha de pesquisa: Educação em Saúde na Comunidade.

Fernanda Cristina Gomes, Universidade Federal de São Paulo

Graduada em Psicologia pela Universidade Federal de São Paulo no Instituto Saúde e Sociedade na Baixada Santista/SP. Atua como Psicóloga Convidada na Extensão "Arte, Sonhos e Juventudes: Abordagem Psicanalítica nos Modos de Cuidar das Juventudes ofertando a oficina "Poesia, Corpo e Escrevivência na UNIFESP/BS. Atua também como Psicóloga Voluntária em Extensão "Atendimento Psicológico Online na Pandemia da COVID-19" pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atuou como estagiária em Psicologia no Centro de Referência da Assistência Social (CRAS-ZOI - Santos/SP), em Defensoria Pública do Estado de São Paulo e UME Avelino da Paz Vieira. Atuou como Extensionista Universitária nos projetos "Escuta Clínico-Politica de Pessoas em Situações Sociais Críticas" e "Programa para Remar na Recuperação da Mulher após o câncer de mama - PREAMAR". Atuou como Gestora de Projetos em Associação Atlética Acadêmica IV de Junho. Atuou como Facilitadora em Redução de Danos pela UNIFESP/BS e FIOCRUZ, na Divulgação do Processo do Projeto Pedagógico Institucional da Pró-reitoria de Planejamento da UNIFESP e também no JECRIM/Santos e Unidades Municipais de Ensino da Prefeitura de Santos em Justiça Restaurativa com Práticas Circulares na cidade de Santos - SP.

Referências

AGUIAR, Cláudia Trigo. Uma problematização da produção de verdade nos crimes contra a vida de jovens brasileiros. Dissertação de mestrado (Psicologia Social). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. São Paulo: 2017

ANTUNES, Arnaldo. O pulso ainda pulsa. Letra da Música. 1989. Disponível em: <https://saudeglobal.org/2017/06/30/o-pulso-ainda-pulsa-por-daniel-almeida/> Acesso em: 08 jun.2020.

BROIDE, Jorge et al. A psicanálise em situações sociais críticas: Metodologia clínica e intervenções. Brasil: Editora Escuta, 2016.

CARRETEIRO, Tereza C. Acontecimento: categoria biográfica individual, familiar, social e histórica. In Féres-Carneiro (orgs). Família e Casal: Arranjos e Demandas Contemporâneas. Rio de Janeiro: Ed.PUC-Rio, São Paulo: Loyola, 2003.

D’ANDREA, Tiaraju. Contribuições para a definição dos conceitos periferia e sujeitas e sujeitos periféricos. Novos Estudos - Cebrap, [S.L.], v. 39, n. 1, p. 19-36, Novos Estudos - CEBRAP, abr. 2020.

DAYRELL, Juarez. O jovem como sujeito social. Rev. Bras. Educ. Online. nº24. Fev/2003.

DOKA, Kenneth J. Disenfranchised grief: recognizing hidden sorrow. Lexington, MA: Lexington Books, 1989.

EMICIDA. AmarElo. 2019. Disponível em: <https://www.letras.mus.br/emicida/amarelo-feat-majur-e-pabllo-vittar/>. Acesso em: 08 jun. 2021.

EVARISTO, Conceição. Escrevivências da afro-brasilidade: história e memória. Releitura, Belo Horizonte, n.23, 2008.

EVARISTO, Conceição. Escrevivência. Leituras Brasileiras. 6/02/2020. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=QXopKuvxevY>. Acesso em: 09/06/2021.

FERENCZI, Sándor. A Criança Mal Acolhida e Sua Pulsão de Morte. Obras Completas. Porto Alegre. Editora Artmed, 2011.

FIORATI, Regina Célia et al. População em vulnerabilidade, intersetorialidade e cidadania: articulando saberes e ações. Saúde e Sociedade [online]. 2014, v. 23, n. 4.

FREUD, Sigmund. Além do Princípio do Prazer (1920/2010a) In: SOUZA, Paulo César de. Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

__________. O mal-estar na Civilização. (1930/2010b). In: SOUZA, Paulo César de. Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

__________.Luto e melancolia (1917/2010c). In: SOUZA, Paulo César de. Obras Completas. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

___________. A Negação. (1925/2011). In: SOUZA, Paulo César de. O Eu e o Id, autobiografia e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

AUTOR, ****

AUTOR, ****

HOLLANDA, Chico Buarque de. Geni e o Zepelim. In: Ópera do Malandro. Rio de Janeiro: Polygram’Phillips, 1979. Disco 2. Lado A. Faixa 5. Disco de Vinil.

IBGE. Censo demográfico 2010. IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e, 2010

AUTOR, ****

IPEA, Inst. de Economia Aplicada. Atlas da Violência. 2020. Disponível em:<https://www.ipea.gov.br/atlasviolencia/download/24/atlas-da-violencia-2020>. Acesso em: 08 jun. 2021.

KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação. Episódios de Racismo Cotidiano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Brasil: n-1 edições, 2018.

MACHADO, Thais F.F. Territórios, sociabilidades e jovens da Zona Noroeste de Santos - SP: significados e experiências em contexto de violência urbana. Dissertação (Mestrado Interdisciplinar em Ciências da Saúde) - Universidade Federal de São Paulo - Campus Baixada Santista. Santos, 2017.

RIBEIRO, Djamila. Quem tem medo do feminismo negro?. São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

ROSA, Miriam Debieux. A condição errante do desejo: os imigrantes, migrantes, refugiados e a prática psicanalítica clínico-política. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, Brasil, v.12, n.28, Set 2009.

ROSA, Miriam Debieux; VICENTIN, Maria Cristina. Os intratáveis: o exílio do adolescente do laço social pelas noções de periculosidade e irrecuperabilidade. Revista Psicologia Política, São Paulo, v. 10, n. 19, p. 107-124, 2010.

ROSA, Mirian Debieux. A clínica psicanalítica em face da dimensão sociopolítica do sofrimento. São Paulo: Escuta/Fapesp, 2016.

SAWAIA, Bader Burihan. Psicologia e desigualdade social: uma reflexão sobre liberdade e transformação social. Psicol. Soc., Florianópolis, v. 21, n. 3, p. 364-372, Dec. 2009.

SOARES, Elza. Maria de Vila Matilde. 2015. Disponível em: <https://www.letras.mus.br/elza-soares/maria-da-vila-matilde/>. Acesso em: 08 jun. 2021.

SOARES, Lissandra Vieira; MACHADO, Paula Sandrine. "Escrevivências" como ferramenta metodológica na produção de conhecimento em Psicologia Social. Rev. psicol. polít., São Paulo, v. 17, n. 39, p. 203-219, ago. 2017

AUTOR, ****

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da violência 2016: homicídios por arma de fogo no Brasil. Rio de Janeiro: FLACSO Brasil, 2016.

ZIZEK, Slavoj. Violência: seis reflexões laterais. São Paulo: Boitempo, 2014.

Downloads

Publicado

2022-05-08