Algumas questões estéticas e políticas nos murais zapatistas: um ensaio de interpretação fotográfica

Autores

  • Alexander Maximilian Hilsenbeck Filho Está como Professor de Ciência Política e Cultura Brasileira na Faculdade Cásper Líbero, São Paulo-SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.23925/ls.v25i46.55063

Palavras-chave:

Zapatismo, Muralismo, Fotografia, Arte

Resumo

Nos ocuparemos sobre alguns conteúdos presentes nos murais em territórios zapatistas, especificamente no Caracol de Oventik. O que pretendemos aqui é articular uma discussão sobre o que retrata-se em alguns murais zapatistas e como essas imagens refletem as concepções histórias e políticas do movimento.

Biografia do Autor

Alexander Maximilian Hilsenbeck Filho, Está como Professor de Ciência Política e Cultura Brasileira na Faculdade Cásper Líbero, São Paulo-SP, Brasil.

Doutor em Ciência Política (Unicamp), Mestre em Ciências Sociais (Unesp)

Referências

BARBOSA, L. P. Estética da resistência: arte sentipensante e educação na práxis política latinoamericana. Conhecer: Debate entre o Público e o Privado, v. 9, n. 23, p. 29-62, 2019.

BASCHET, J. A experiência zapatista. Rebeldia, resistência e autonomia. São Paulo: N-1 edições, 2021.

BRANCALEONE, C. Teoria social, Democracia e Autonomia. Uma interpretação da experiência de autogoverno zapatista. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2017.

DOUGLAS, Emory. Zapantera Negra. An artistic encounter between Black Panthers and Zapatistas. Brooklyn: Common Notions, 2017.

EZLN (Ejército Zapatista de Liberación Nacional). Crónicas intergalácticas. In.: Anales del 1er Encuentro Intercontinental por la Humanidad y en contra del Neoliberalismo. Chiapas, San Cristóbal de las Casas, México: Planeta Tierra, 1996.

HILSENBECK FILHO, A. M. Abaixo e à esquerda: uma análise histórico-social da práxis do Exército Zapatista de Libertação Nacional. 2007. 247 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2007. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/88801>.

______. Arte e Estética Política Zapatista: o I Festival CompArte pela Humanidade. Lutas Sociais, São Paulo, vol.21 n.39, p.77-92, jul./dez. 2017.

HILSENBECK FILHO; BRANCALEONE. O Caracol e a Velha Toupeira. In.: ARIEL (et al.). Anticapitalismos y sociabilidades emergentes: experiencias y horizontes en Latinoamérica y el Caribe. Bahía Blanca: Ediciones del Ceiso; Ciudad Autónoma de Buenos Aires: CLACSO, 2019

MACIEL, L. da. Os murais zapatistas e a estética tzotzil: pessoa, política e território em Polhó, México. 2018. 240 f. Dissertação (Mestrado em Estética e História da Arte) – Universidade de São Paulo, Programa Interunidades em Estética e História da Arte, São Paulo, 2018.

RIHAN, B; SALDANHA, G. Neodocumentação e Dialogismo no Muralismo Zapatista.Tendência da Pesquisa Brasileira em Ciências da Informação. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/159406.

Downloads

Publicado

2022-05-08